Esperança e trabalho

 

Fernando Alves de Abreu
Na CeasaMinas desde 1976

Admitido pela antiga COBAL – Companhia Brasileira de Alimentos, hoje CONAB, em 20 de março de 1974, na função de Auxiliar de Administração, para prestar serviços no Mercado Distrital da Barroca, o Assessor Jurídico, Fernando Alves de Abreu, relembra o início de suas atividades. “Não podia sequer chegar atrasado no trabalho, pois a chave de abrir o mercado distrital ficava comigo, sendo que os permissionários precisavam abastecer bem cedo os seus boxes/lojas para iniciar o atendimento aos consumidores com hortifrutigranjeiros frescos”.
Em 1975 Fernando passou a exercer o cargo de Administrador do Horto Mercado, tendo sido transferido para o Mercado Distrital de Santa Tereza. O funcionário explica que era a COBAL que administrava os mercados distritais através de um convênio assinado com a CeasaMinas e a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. “Com o encerramento do convênio fui admitido na CeasaMinas, em agosto de 1976, na função de Técnico em Comercialização (Orientador de Mercado)”.

Atividades
Desde então, Fernandão, como é conhecido por todos, desempenhou diversas funções na estatal. Foi técnico em comercialização (Orientador de Mercado), supervisor do varejão, chefe da Seção de Cadastro e chefe do Departamento de Operações de Mercado da unidade da CeasaMinas em Contagem.
Fernandão desempenhou, também, a função de chefe do Departamento de Operações de Mercado das Unidades do Interior da CeasaMinas, que abrangia a Feira Coberta do Bairro Padre Eustáquio em Belo Horizonte – MG e as unidades da CeasaMinas de Uberlândia, Uberaba, Barbacena, Juiz de Fora e Caratinga – Governador Valadares e, posteriormente, da Seção de Produção Programada, retornando novamente à Chefia das Unidades do Interior. Depois, passou a exercer sua atual função de Assessor Jurídico, tendo chegado a ocupar o cargo de Gestor do Departamento Jurídico.

A CeasaMinas
As dificuldades, devido à falta de estrutura no entreposto, no período de sua instalação, são relembradas por Fernandão. “No início aqui era muito deficiente em restaurante, telefone e linhas de ônibus”.
Aos 69 anos, Fernandão manifesta sua alegria e satisfação por ter acreditado que a CeasaMinas daria certo. “Ouvia muita gente falar que a CeasaMinas estava muito longe de Belo Horizonte e isto dificultaria sua consolidação. Muitas atacadistas não acreditavam no empreendimento e foram transferidos para a CeasaMinas obrigados, através de um Decreto Governamental. Hoje, muitos que vieram naquela época e não acreditavam no futuro da estatal, não querem retornar ao seu local de comércio anterior por falta de espaço e transtorno de trânsito em Belo Horizonte. Com a inauguração da CeasaMinas, aqui se instalaram várias empresas com diversificados ramos de atividades, fortalecendo ainda mais o crescimento da estatal”.

Expectativas
Fernandão destaca a importância da CeasaMinas para o abastecimento alimentar. “Entendo que a CeasaMinas encontra-se muito bem organizada tanto na parte operacional e administrativa, em condições de atender o futuro crescimento de demandas. É um dos pontos fortes para atração de compradores, que encontram produtos diversificados com excelentes preços, através de uma livre concorrência”.

O Assessor Jurídico aposta no crescimento da empresa. “A CeasaMinas tem tudo para continuar crescendo, devido à sua diversificação de produtos e seu comércio centralizado. Se você abrir um comércio fora da Ceasa é necessário fazer propaganda, ao passo que, se estiver na Ceasa, não precisa de propaganda, pois o cliente, certamente, visitará o seu estabelecimento. Além disso, a segurança no entreposto traz garantia de tranquilidade para os que aqui comparecem”.

Fernandão enfatiza, também, o papel fundamental dos produtores rurais para o sucesso das atividades no entreposto. “Eles têm contribuído muito com a melhoria da classificação de seus produtos, tornando-os mais atraentes para os consumidores. Existe o pavilhão do MLP (Mercado Livre do Produtor) que proporciona o acesso do produtor rural para comercializar diretamente seus produtos. Antes da CeasaMinas muitos produtores não possuíam um local apropriado para fazer sua comercialização direta, tendo que repassar seus produtos a terceiros por falta de possuírem um ponto comercial. Entendo que isto foi muito benéfico para o produtor rural”.