DEDICAÇÃO E TRABALHO

Romeu Silveira Diniz
Seção de Agroqualidade
Na CeasaMinas desde 1974

Quando chegou na CeasaMinas, aos 23 anos, em fevereiro de 1974, o funcionário Romeu Silveira Diniz encontrou um entreposto ainda sem as condições necessárias para suas operações. “Quando a Ceasa foi inaugurada, não tinha asfalto, o que gerava muita poeira. Também não tinha restaurantes, telefones e nem local adequado para a administração”. De acordo com o funcionário, isso aconteceu porque o mandato do governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco, terminaria em 15 de março daquele ano: “As autoridades decidiram que a inauguração deveria acontecer antes da mudança do governo”. Romeu acrescenta que a transferência do comércio também foi muito trabalhosa. “As lojas na Ceasa eram cedidas sem custo. Mesmo assim, ninguém queria deixar seus pontos comerciais em Belo Horizonte e vir para Contagem. Houve uma fiscalização intensa, com a nossa participação, apoiada pela Polícia Militar, obrigando os vendedores a se transferirem para o entreposto de Contagem”. O funcionário relata que, inclusive, um diretor da Ceasaminas foi agredido com violência em uma dessas ações, no centro de BH. “Só não foi pior porque a polícia chegou rápido. Aos poucos as coisas foram melhorando e hoje a Ceasa é esta potência que aí está. Mas as dificuldades sempre existiram e nunca vão acabar”. Aos 67 anos, Romeu Silveira Diniz tem uma história de atuação em vários setores da Administração da CeasaMinas. Além de orientador de mercado, sua primeira função, quando iniciou suas atividades no entreposto, Romeu atuou como gerente do varejão e coordenador da seção de cadastro. Trabalhou, também, na seção de informação de mercado, no departamento técnico, no centro de produção programada, na seção de unidades do interior, foi gerente do MLP e responsável pelo setor de transportes. Atualmente, Romeu é assistente técnico na Seção de Agroqualidade, que é ligada ao Departamento técnico, exercendo um trabalho de pós colheita, principalmente através dos Barracões do Produtor, com foco na melhoria da classificação e embalagens dos produtos. Pioneiro Com uma trajetória de 44 anos de trabalho na CeasaMinas, Romeu, diz que tem um sentimento de grande alegria por ter participado, desde o início, de um grande projeto que deu certo. “A Ceasa presta um grande serviço ao processo de produção e abastecimento. Com a implantação deste entreposto atacadista o produtor teve a certeza de que sempre teria um local garantido na Ceasa para vender sua produção. Mesmo quando ele vem pela primeira vez, terá uma autorização provisória para comercializar até que a situação seja regularizada”. De acordo com Romeu, com esta garantia de venda, a produção do Estado cresceu substancialmente: “Inclusive com a exportação de grandes quantidades para outros estados e países, gerando emprego e renda no campo e também nas cidades”.