Fé e esperança

Maria das Graças e Winston Naufel
Papelaria PapelNovo

Há 22 anos na CeasaMinas

“Quando cheguei aqui percebi que na Ceasa existe espaço para todos que quiserem trabalhar”. Esta é a conclusão, sobre a CeasaMinas, a que chegou a conselheira da ACCeasa, Maria das Graças Naufel, que, juntamente com o esposo, Winston Naufel, administram a Papelaria PapelNovo, empresa que está há 22 anos na CeasaMinas. Dona Maria, como é conhecida por todos no entreposto, conta que o marido, “com a cara e a coragem” resolveu abrir uma papelaria na Ceasa e que, depois de dois anos do início das atividades da empresa, ela veio ajudá-lo.
“Tivemos muita coragem mesmo, porque na ocasião não tínhamos condições de montar uma loja. No princípio, ela ficava com caixas vazias na prateleira”, relembra.
Dona Maria recorda que percebeu, também, na Ceasa, uma correria muito grande. “Todos sempre tinham e têm muita pressa, desde os fornecedores até os clientes e empresários”. Ela destaca que, por isso, sentiu um desejo muito grande de anunciar na Ceasa o reino de Deus. “Pensei em proporcionar à comunidade ceasense um tempo para oração e reflexão. Comecei, junto com o sacerdote da Paróquia de São Sebastião, com a celebração da Eucaristia no MLP, que continua até hoje, às quartas-feiras, às 17 horas”. A conselheira explica que deu sequência a essa missão através do Café com Oração, evento realizado trimestralmente pela ACCeasa, já na sua 125ª edição.
Realizações
“Tenho um sentimento de grande satisfação de fazer parte do Conselho de Administração da ACCeasa e de estar em união com esses conselheiros, enfrentando tantos batalhas para vencer as inseguranças, com as constantes mudanças na gestão da CeasaMinas”, destaca a conselheira, completando que a ACCeasa está sempre sendo renovada e vivendo um novo tempo, pois conta com empresários empenhados em fazer uma Ceasa que satisfaça aos anseios de cada um dos comerciantes que atua no entreposto. “Temos aqui uma grande insegurança, de não podermos contar com uma gestão na CeasaMinas que seja conhecedora da realidade deste entreposto”, enfatiza.
Gratidão
Dona Maria destaca que se sente honrada de ser a primeira mulher, pequena empresária, a fazer parte da associação: “Agradeço, primeiramente a Deus, que me permitiu entrar aqui. Vejo meu marido, Winston Naufel, como um vitorioso, que continua trabalhando com muita garra e muita fé. Não viemos com a intenção de fazer riqueza, mas de trabalhar e criar nossa família com dignidade. Com muita alegria, queremos agradecer à Ceasa, porque daqui tiramos o nosso sustento”.
Expectativas
A empresária e conselheira diz esperar que as mudanças políticas no país sejam favoráveis ao pequeno e ao grande empresário. “Tenho esperança de melhorias para todos que fazem parte da Ceasa: produtores, carregadores, motoristas, funcionários, empresários, clientes e fornecedores”.