Motivação e Responsabilidade

Ênio de Paula Rosa
Administração da CeasaMinas
Na CeasaMinas desde 1977

Quando chegou à CeasaMinas, em 1977, o Assistente Técnico, Ênio de Paula Rosa, tinha apenas 21 anos. Hoje, aos 63, relembra sua trajetória no entreposto de Contagem. “Eu havia retornado de Uberlândia, onde cursava Engenharia Química. Abandonei o curso e voltei para Belo Horizonte para fazer pré-vestibular”. Sentindo que havia chegado o momento de trabalhar, Ênio participou de um concurso na Ceasa MG e foi classificado. “Comecei trabalhando como Orientador de Mercado no MLP e tive que morar no Alojamento, que era de tábua, naquela ocasião. Explica que era necessário morar no alojamento, pois o transporte era muito deficiente, com poucos ônibus, principalmente à noite, horário do seu trabalho.

De acordo com o funcionário, o período de 1978 a 1982 foi muito pesado, pois nesse ínterim fez o Curso Superior em Administração de Empresas. “Trabalhava à noite e estudava de 07h às 11h15 e tinha que começar a trabalhar às 13 horas”. Ênio relata que outro problema da época era relacionado à alimentação. “No alojamento eu não tinha como fazer minhas refeições e no mercado só havia um restaurante no meio do Pavilhão A e outro no Pavilhão I, mas ambos fechavam na sexta-feira à tarde e só reabriam na segunda-feira de madrugada”. Destaca que nunca reclamou das dificuldades e hoje, com 42 anos de casa, sente orgulho de trabalhar nessa empresa. “Nada a reclamar. Como a CeasaMinas estava nascendo, todos nós tínhamos uma vontade imensa de fazer aquela empresa crescer. E realizamos nosso sonho, pois a CeasaMinas chegou ao estágio de ser a mais diversificada do Brasil. Uma das maiores em volume ofertado”.

Trajetória
Ênio iniciou seu trabalho na CeasaMinas em fevereiro de 1977 como orientador de mercado, passando logo depois para o cargo de auxiliar administrativo; então foi requisitado pelo Departamento Técnico (DETEC) para trabalhar na Seção de Informação de Mercado, onde trabalhou por muitos anos. “Nessa seção meu primeiro trabalho foi digitação e impressão do Boletim Informativo Diário (BID). A missão era publicar o BID no mesmo dia, pois até então ele só era divulgado no dia seguinte, além de atuar como teletipista e transmiti-lo via telex para várias outras Ceasas e órgãos afins”.
O funcionário conta que nos anos de 1983/84 foi iniciado o Projeto de Produção Programada, que consistia de um trabalho técnico de previsão de demanda de um determinado produto para determinado mercado para o ano seguinte, em função dos preços, sem, contudo, provocar fortes alterações nos preços futuros ao consumidor. “Esse projeto foi implementado juntamente com a Emater, pois a previsão de demanda era diretamente relacionada à previsão da intenção de plantio”.
Relata também a implantação do primeiro Sistema de Informação Computadorizado em Ceasa no Brasil, o RH02, uma parceria da Ceasa MG/PRODEMGE em 1986/87. “Foi um trabalho intenso coordenado pelo saudoso chefe do Detec, Dr. Gilson Santos Neves, executado por mim e por Ricardo Fernandes Martins e, claro, com os demais funcionários do departamento”.
No período de 1977 a 1986, ocupou, em determinados momentos, as chefias da Seção de Informação de Mercado e da Seção de Estatística de Mercado. Posteriormente, em 2004, passou a ocupar o cargo de coordenador da Seção de Produção Programada que, em seguida, passou a se chamar Seção de Estudos Estratégicos. “Ocupei interinamente o cargo de chefe do Departamento Técnico. Fiquei na chefia do Setor de Estudos Estratégicos até meados de 2012, mas continuo lotado nesse setor até hoje, no cargo de Assistente Técnico”.

CeasaMinas
O funcionário destaca a importante função social da CeasaMinas, como central de abastecimento. “A CeasaMinas fortaleceu o homem do Campo, que tinha dificuldades para escoar sua produção. A partir da implantação da Ceasa MG, o produtor de hortigranjeiro passou a ter um espaço só para ele. O Mercado Livre do Produtor que no início tinha uma área construída de 10 mil m², hoje tem 20 mil m²”. Ênio cita como exemplo desse importante papel, o período de 1976 a 1996, quando a CeasaMinas funcionou como reguladora de preço, controlando o mercado, em particular na Capital. “Naquela época, os Mercados Distritais eram os mais importantes equipamentos de varejo de Belo Horizonte e seus preços eram controlados, pois era estabelecido o “sobre-preço” com base nos preços praticados no atacado
da CeasaMinas”.

Expectativas
Sobre o futuro, Ênio tem a expectativa de que venham melhores dias para que a CeasaMinas seja referência nacional. “Que ela não deixe de apoiar o produtor rural, principalmente o pequeno, pois ele precisa da Ceasa. E a Ceasa precisa dele”.